DANÇA FLAMENCO – ESPANHA

Tags

,

 

O flamenco é um estilo de música e dança tipicamente espanhol. Essa manifestação cultural é relacionada sobretudo à comunidade autônoma da Andaluzia, ao sul da Espanha, assim como à cidade de Múrcia e à região de Estremadura.

Com influência árabe, judaica e cigana, o flamenco está presente na identidade principalmente do povo andaluz.

A origem do flamenco ainda é investigada, más tudo leva a creer que que o flamenco teve origem nos bairros pobres ciganos (as gitanerias) e foi passado de geração para geração transformando-se em uma expressão artística bastante elaborada.

Por ter surgido em um período muito tumultuado, a história do flamenco perdeu detalhes importantes. Na época, os povos mouriscos, judeus e ciganos sofriam grandes perseguições por conta da inquisição espanhola.

Além disso, os ciganos – vindos da Índia em torno de 1425 – apresentavam uma forte tradição oral e suas músicas eram transmitidas através das próprias performances musicais para as comunidades.

Entre 1869 e 1910 houve a chamada “época de ouro”, quando o flamenco ganha espaço nos “Cafés Cantantes” – locais de entretenimento e shows.

A princípio, o flamenco era constituído apenas do canto. Com o tempo foi ganhando outros elementos, como as palmas, o violão, o sapateado e a dança.

Também foram incluídos os instrumentos de percussão: cajón e castanhola.

As roupas usadas pelas dançarinas eram simples como as vestimentas das camponesas. Elas usavam também bijuterias e adornavam seus cabelos com flores.

CABRALES – QUEIJO ESPANHOL

Tags

,

Os próximos dias vou falar um pouco de alguns queijos que esperimentei ao redor do mundo e gostaria de compartilhar com vocês.

O queijo espanhol Cabrales representa o que há de mais robusto em termos de queijos azuis, graças ao seu intenso sabor forte, picante. Tradicionalmente é feito com uma mistura de leites de vaca, ovelha e de cabra e maturado durante meses em cavernas rústicas e sem revestimento. Cabrales tem uma textura ligeiramente quebradiça e seu sabor é penetrante e persistente. Como todo queijo azul, ele é melhor apreciado com os vinhos generosos, como o Sherry, o Porto e o Sauternes. Vai bem com Finos e Manzanillas

Para quem curte o queijo gorgonzola o gosto lembra um pouco, más é mais forte.

FEIJOADA PERNAMBUCANA – PERNANBUCO

Tags

,

A feijoada é o prato mais típico do Brasil e cada região do Brasil acaba colocando sua regionalidade no prato, más a essência é sempre a mesma. Hoje vamos ver uma receita da saborosa Feijoada Pernambucana.

INGREDIENTES: 1kg de feijão mulatinho 12 aipim 12 quiabos 4 chuchus 2 cenouras médias 200g de jerimum 300g pé de porco 100g de calabresa 200g de paio 200g de lombo 200g de bacon 300g de charque 300g de costela de porco 300g de língua bovina 2 folhas de louro 50g de alho picado 3 cebolas médias picadas 1/4 de maço de cebolinha verde 4 tomates picados 1 pimentão picado

Na noite anterior coloque todos os ingredientes salgados da feijoada de molho trocando a água quantas vezes for necessário até que estejam totalmente sem sal. coloque em uma panela para cozinhar um por um na ordem do mais duro ao mais macio. Tempere as carnes frescas com alho e acrescente-as ao cozimento das carnes. Adicione também o paio e a calabresa inteiros e deixe cozinhar até que estejam macios e escorra-os e deixe esfriar. Corte as carnes, paio e calabresa e reserve. Utilize a água do cozimento das carnes para cozinhar o feijão.

Em outra panela coloque o bacon picado. Quando derreter toda a gordura, acrescente o restante do alho picado. Quando dourar adicione a cebola e o louro e, em seguida o pimentão e tomate. Deixe refogada junte as carnes, paio e calabresa. Mexa e coloque o feijão cozido com os legumes. Prove para medir o sal. Deixe ferver e por fim acrescente por fim o cheiro Verde.

BOLO DE ROLO – PERNAMBUCO

Tags

,

Origem do Bolo de Rolo

O típico bolo de rolo de Pernambuco é uma variação para o colchão de noiva, um tipo de doce português recheado de amêndoas. Com a ausência das amêndoas as senhoras de engenho (sinhás) trocavam elas pela mistura de água, açúcar e goiaba.

Por trás da aparente simplicidade sugerida pelos ingredientes, o bolo de rolo exige cuidado especial no preparo. O segredo está na junção das finas camadas de massa e de goiabada antes de ganhar uma generosa cobertura de açúcar e ser enrolado.

bolo de rolo

       Ingredientes

Massa

  • 1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar
  • 10 colheres (sopa) de manteiga
  • 5 ovos
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha (opcional)
  • Recheio
  • 300 g de goiabada em barra 
ou
  • 400 g de goiabada cremosa 

    Modo de Preparo

    Massa: bata a manteiga e o açúcar até obter um creme fofo. Adicione os ovos um a um batendo sempre. Se desejar, nesse momento adicione a essência de baunilha.

    Diminua a batedeira para a velocidade mínima e, aos poucos, acrescente a farinha de trigo. Bata o suficiente apenas para misturar a massa.

    Preaqueça o forno à 240ºC. Espalhe cerca de 4 a 5 colheres de massa com o auxílio de uma espátula de cortar bolo em cada assadeira. Cada camada leva aproximadamente de 3 a 4 minutos para assar. Você saberá o ponto certo quando a massa estiver opaca e não colar no seu dedo. Tire imediatamente para não passar do ponto. Espalhe o recheio e enrole ainda quente. Faça do mesmo modo com as demais camadas, porém você irá juntá-las pela emenda. Decore com açúcar.

    Recheio: se usar goiabada em barra, cozinhe em 500 ml de água. Derreta a goiabada com água em fogo baixo e deixe engrossar até atingir a textura desejada para espalhar.

     

CARNE DE SOL COM QUEIJO COALHO – NORDESTE BRASIL

Tags

,

Um dos pratos mais típicos do Nordeste Brasileiro é a carne de sol. Segue uma sugestão de refeição muito comum na região e fácil de fazer.

Ingredientes: 2kg de carne de sol 1,5kg de feijão verde 300g de queijo coalho 3 cebolas médias 20g de cheiro verde a gosto 200g de mandioca

Preparo: Cozinhe o feijão na água e sal e tempere com cheiro verde. Em seguida escalde a carne de sol, corte em cubos e asse e refogue com pedaços de cebola. Corte pedaços de queijo coalho e asse até criar uma crosta dourada e crocante. Cortar a mandioca cozida bem fina e fritar até ficar bem crocante. Se preferir pode fazer uma farofa para acompanhar.

TACOS AL PASTOR – MÉXICO

Tags

,

Um dos pratos mais consumidos no México são os tacos e destaco um dos mais famosos o taco al pastor, muito popular na Cidade do México e você o encontrará tanto em restaurantes sofisticados como em botecos no meio da rua.

Tradicionalmente a carne para confecção dos tacos é espetada em um espeto na posição vertical onde é assada.

tacos al pasto espeto

Os ingredientes são basicamente: lombo de porco, pimenta, alho, cebola e abacaxi servidos em uma tortilla de milho e cada restaurante/boteco faz seu molho e tem seus segredos na preparação da carne.

Más de todas as formas é uma delícia, colocando um limão por cima da carne na hora de servir então fica nota 10!!!

tacos al pastor

VESTIMENTAS HOMENS JUDAICOS – ISRAEL

Tags

, , ,

Algumas destas vestimentas estão associadas à oração, outras para ocasiões especiais e outras ainda são vestidas normalmente durante o dia .

Talit e Tsitsít

Durante as orações matutinas, os homens põem uma espécie de xale denominado Talit, com franjas pendentes em seus quatro cantos. A Torá exige que todas as vestimentas de quatro cantos tenham estas franjas, ou Tsitsít,

tali

Tefilín

Os itens principais da oração são os filactérios, denominados Tefilín, que consistem em um par de caixas pretas de couro com tiras de couro amarradas suavemente, uma sobre o braço e a outra sobre a cabeça. Estas caixas contêm pequenos pergaminhos em seu interior, onde está escrito o Shemá (“Escuta, ó Israel, o Eterno é nosso Deus, o Eterno é Um!”) e outros versículos bíblicos.

tefilin

Kipá

Cobrir a cabeça é um sinal de respeito no oriente. Usar chapéu num restaurante, biblioteca ou reunião de diretoria é sinal de falta de boas maneiras. Não usar é sinal de pouca fé. Os judeus têm o costume de cobrir a cabeça há pelos menos 2 mil anos, especialmente durante o estudo e a oração; e as mulheres judias casadas, desde os tempos bíblicos.

O Talmud registra que um homem não deve andar mais de sete passos (“quatro amót”) com a cabeça descoberta. Um rabino observou que usar a Kipá, ou solidéu, não torna um homem religioso, mas não usar uma coloca sua religiosidade em dúvida. Hoje em dia é raro que alguém reze com a cabeça descoberta.

Não há forma haláchica prescrita para cobrir a cabeça. O estilo atual de Kipá é uma questão de gosto, e também de identidade.

kipa1

Há muitos que usam o chapéu para cobrir a cabeça com cachos laterais (peiot) cultivados por alguns judeus ortodoxos e são um símbolo de guarda dos Mandamentos e de identidade, indicando o grupo do judaísmo a qual pertencem. Quem tem o cabelo mais liso, às vezes, usa cera ou sabão para dar o shape.

No Velho Testamento, há trechos que proíbem os homens de cortar os pelos laterais do rosto. Por isso, grupos específicos de ortodoxos que interpretam o texto mais ao pé da letra cultivam os pelos laterais intactos.

chapue

Sha’atnez

Existe uma injunção bíblica contra a mistura de linho e lã na fabricação e uso de roupas. Essencialmente, Sha’atnez é uma das leis para as quais não é fornecido o motivo. Muitos mestres brilhantes tentaram, durante os últimos 35 séculos, entender o sentido da mesma. Por exemplo, Maimônides cita o empenho bíblico em desenraizar o costume que os sacerdotes idólatras tinham de misturar estes dois materiais como símbolo de poder sobre os reinos vegetal e animal. Outros sustentam que é parte das proibições bíblicas contra misturar coisas – como arar com uma vaca e um jumento juntos, comer carne com leite. O judaísmo esforça-se resolutamente para manter a integridade dos animais, vegetais e outros materiais.

TABULE DE KASHE – ISRAEL

Tags

, ,

tabule-de-trigo.png

A culinária Judaica é muito rica e variada, vale a pena provar, e um prato bem comum é o Tabule de Kashe.

Ingredientes:

250 gramas de kashe,

1 ovo,

4 tomates (picados sem a pele e as sementes), 1

molho de cebolinha verde (bem picadinha),

1 molho de hortelã (bem picadinha), suco de 1 limão,

2 pepinos (picados),

sal e pimenta a gosto

Modo de fazer:

Misture a kashe crua com um ovo batido. Refogue no óleo quente e adicione 1 ½ copos (de 250 ml) de água fervente, sal e pimenta. Se for necessário, adicione mais água. Quando a kashe estiver cozida, desligue o fogo e deixe a panela esfriar. Tire a kashe da panela, com a ajuda de um garfo, para ficar bem soltinha, e junte os demais ingredientes. O tabule está pronto para servir.